O projeto de licenciamento não é uma formalidade

O projeto de licenciamento não é uma formalidade

Na Paisageiro temos absoluta consciência de que um projecto de licenciamento não é, nem pode ser, uma simples formalidade.

Encaramo-lo como o ponto de partida de um trabalho, desenvolvido em conjunto com o cliente e com o arquitecto.

Os projetos de licenciamento são elementos fundamentais para assegurar não só o cumprimento de todas as exigências legais como também o respeito pela área envolvente e pelas características de cada espaço no que concerne ao clima e à flora autóctone, otimizando tempo e recursos.

Porquê apresentar um projeto de licenciamento?

Antes de mais, por ser uma exigência legal feita pelas Câmaras Municipais.

Estas entidades exigem que o projeto seja assinado por um arquiteto paisagista por forma a garantir que o projeto dos exteriores do futuro imóvel seja conforme com as regras de urbanismo e de qualidade.

Afinal, o exterior de um edifício privado, nomeadamente, o jardim, tem impacto no aspecto visual da rua onde se encontra e na qualidade de vida das pessoas que aí moram.

Em resumo, um projeto de licenciamento assinado por um arquiteto paisagista é para as Câmaras Municipais a garantia de uma intervenção respeitadora do território, do bairro e da vizinhança, e que contribui para o embelezamento exterior não só da rua mas, num âmbito mais alargado, da própria vila ou cidade.

A Paisageiro e os projetos de licenciamento

Mais do que considerar o cumprimento das normas, ao assinar um projeto de licenciamento, a Paisageiro compromete-se perante as entidades oficiais, a colocar o seu conhecimento e as suas competências ao serviço da comunidade.

Porque trabalhamos com o coração e amamos a nossa profissão, assumimos o compromisso de não assinar um licenciamento sem nos debruçarmos atentamente sobre o espaço, jardim ou espaço verde, imaginando o que este poderá vir a ser.

Além disso, como acompanhamos os nossos clientes até ao momento da recepção da obra, o licenciamento é, para nós, o início e não o fim de um percurso que percorremos em equipa com os clientes, os arquitetos, os engenheiros e os empreiteiros.

Alguns aspetos que temos em consideração num projeto de licenciamento

Ao elaborarmos projetos de licenciamento de arquitetura paisagista para particulares e empresas, temos em conta os seguintes aspetos:

Levantamentos botânicos e fitossanitários

Realizamos levantamentos botânicos e fitossanitários rigorosos das espécies arbóreas e arbustivas do terreno em causa, indicando pap’s, estado fitossanitário e destino.

Modelação de terreno

Integramos os diferentes elementos identificados na topografia e moldamos o solo que irá acolher as áreas das plantações e as diversas actividades e funções.

Plantações

Os projetos de licenciamento de arquitetura paisagista da Paisageiro propõem plantações que, na nossa ótica, incluem as espécies mais adequadas às especificidades de cada local e de cada finalidade.

Pavimentos

Indicamos o tipo de pavimento que melhore se adequa à paisagem cultural local e às necessidades específicas do projecto.

Memória descritiva

As decisões assumidas em cada projecto obedecem ao espírito do espaço e às necessidades do cliente.

Qualificação profissional

A Paisageiro é membro efectivo da Associação Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas (APAP) com o nº1134 e acreditada para assinar projetos de arquitetura paisagista.



Caso esteja à procura de um projeto de licenciamento para a construção ou recuperação do seu jardim ou da sua piscina, teremos todo o gosto em o ajudar.

Etiquetas:
TOPO