Os jardins ingleses

Os jardins ingleses

Os jardins ingleses

Os jardins ingleses desenvolveram-se no século XVIII, com base nos jardins das belas cottages britânicas.

Verdadeiros hinos à natureza, são um contraponto aos jardins franceses e italianos que já aqui abordei no blog.

A beleza natural dos jardins ingleses

O surgimento dos jardins ingleses foi um verdadeiro corte com a estética vigente até então, pois celebram a natureza no seu estado mais puro, desvalorizando os elementos produzidos pelo Homem como a estatuária. Por norma, estes jardins eram concebidos por pintores de renome como se fossem quadros perfeitos.

O esplendor da Natureza

A característica basilar dos jardins ingleses é a sua estética rústica, onde as plantas de fácil manutenção são valorizadas. Margaridas, rosas, lavanda e peónias são as flores de eleição, a par de trepadeiras, arbustos e até algumas ervas.

Para que a Natureza brilhe, a arte - tão valorizada nos jardins franceses e italianos - é colocada em segundo plano, quase eliminada. Na verdade, é substituída por elementos naturais como árvores mortas, rochedos e pequenas colinas, clareiras, lagos ou riachos, intercalados pela edificação de ruínas ou quiosques. As formas geométricas e retas são trocadas pelas curvas e pelas formas arredondadas.

Nos jardins ingleses tudo é conjugado para que se transmita a sensação de bosque antigo, intocado pelo Homem.

Os jardins ingleses acabaram por influenciar toda a época romântica do século XVIII, tendo conquistado muitos apreciadores em França - país onde existem muitos exemplos deste tipo de jardins - aquando do desenvolvimento do pensamento humanista de Jean-Jacques Rousseau.

Os Jardins Botânicos Reais de Kew

jardins-de-kew.jpg

Inseridos num enorme parque situado entre Kew e Richmond upon Thames, na periferia de Londres, são dos mais antigos e famosos jardins botânicos do mundo.

Considerados símbolo ímpar dos jardins ingleses, os Kew Gardens, como são conhecidos, integram um vasto complexo de estufas, arvoredo e jardins, e constituem um centro de excelência da investigação botânica e da formação profissional na área da jardinagem.

Se nos jardins italianos e franceses é a sumptuosidade do trabalho do Homem que nos cativa, nos jardins ingleses é a grandiosidade da Natureza que nos fascina.

Porém, independentemente do estilo estético por detrás do jardim, o importante é a paz e o bem-estar que sentimos quando por ele passeamos.

TOPO